Amarrações, amarrações do culto a são Cipriano e são La Muerte

Amarrações, amarrações do culto sao Cipriano e são La Muerte

amarrações, amarrações amorosas, amarrações de magia negra, bruxarias de amarração, feitiços de amarração, amarrações poderosas, amarrações infalíveis, amarrações para o marido, amarrações para a mulher, amarrações para a esposa, amarrações para o esposo, amarrações para a amante, amarrações para ex, amarrações para o ex, amarrações para o amor voltar, amarrações para a mulher voltar, amarrações para o homem voltar, amarrações para amante, amarrações para casar, amarrações para homem casado, amarrações para mulher casada,

O espiritismo e a necromancia na religião cristã:  culto aos Santos, Culto aos mortos e a São La Muerte.

A crença espírita e necromante na religião Cristã

O espiritismo e a necromancia estão profundamente presentes no Cristianismo, embora muitas das vezes os próprios cristãos na tenham noção disso. Por exemplo: quando se está a orar um santo, está-se da verdade a orar ao espírito de uma pessoa já desencarnada deste mundo dos vivos, e que habita no reino do espírito ou no reino dos mortos. Estamos nesse momento a estabelecer contacto com um espirito desencarnado e habitante do mundo dos espíritos, ao qual estamos a pedir uma bênção ou favorecimento, e isso é uma pratica de espiritismo. Mesmo quando se está a apelar a entidades como Nossa Senhora, está-se a apelar ao espírito da mãe de Jesus, a mesma mãe de carne-e-osso que habitou neste mundo, e que deu á luz um filho de carne-e-osso de nome Jesus, e que no final a sua vida faleceu, e cujo o espirito migrou para o mundo dos espíritos. Novamente: ao orar e pedir algo a Nossa Senhora, está-se na verdade a entrar em contacto com o espírito de uma pessoa já falecida á seculos, e cuja a alma habita no reino dos mortos, e junto da qual se procura alcançar um favorecimento ou bênção.  Jesus ele mesmo foi um homem de carne e osso, dentro do qual habitou um espírito santo, que era Cristo, o espírito do Filho de Deus. Pois bem: quando estamos a orar a Jesus estamos a orar ao espírito de um homem de carne e osso que faleceu há seculos, um homem santo que desencarnou deste mundo á seculos, e cujo o espirito que habitava nesse homem de carne-e-osso, ( o espirito santo, que é espirito Filho de Deus), permanece vivo na esfera dos espíritos. Pois bem: tudo isso são praticas espíritas que a maioria das pessoas pratica comummente sem saber que está a praticar um processo de espiritismo, pois que os processos religiosos de espiritismo consistem precisamente em entrar em contacto com os espíritos de pessoas já desencarnadas e que habitam lá no Além-túmulo, ou no mundo dos espíritos.

A  necromancia na religião Hebraica

Esta noção espírita da vida apos a morte –  e da dinâmica entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos – é uma noção religiosa muito mais antiga e anterior ao Cristianismo.

Antes do Cristianismo havia o Judaísmo, pois na verdade Jesus era Judeu e praticante da religião hebraica. Ora, na religião hebraica não existia a noção de céu que o cristianismo trouxe muito mais tarde. Na verdade, não havia nem a noção de um céu paradisíaco de recompensas, nem a noção de um inferno punitivo de castigos. O que havia era a noção de uma realidade mística e metafisica chamada de sheol – em hebraico שאול – que é na verdade a realidade espiritual para a qual migra a alma depois da morte do corpo.

Ou seja: na teologia hebraica professavam-se duas realidades: esta realidade física onde habitam os nossos corpos de carne-e-osso, sendo que os nossos corpos físicos apenas são animados por vida e consciência devido ao espírito que neles habita. No fundo, estes nossos corpos são como receptáculos de uma alma que lhes dá vida, conforme um copo é um receptaculo da água. Porem: Sem a alma, ou esvaziado da alma como um copo esvaziado de água, o corpo volta a ficar inerte, inconsciente, não-vivente, e regressa ao pó. Por outro lado, a alma uma vez saída do corpo, ( o momento a que se chama de morte), a alma  desencarna do corpo e atravessa o véu que separa o mundo dos vivos do mundo dos mortos, e vai habitar no Sheol –  שאול – que significa «realidade dos mortos», ou «reino dos mortos», ou «mundo dos mortos», no qual repousam as almas já desencarnadas e idas deste mundo.

As amarrações necromantes,  o culto aos santos, o culto aos mortos

Nesta perspetiva, o culto aos santos, ( na Santeria), e o culto aos mortos, ( como o culto a São La Muerte), está profundamente marcado e enraizado em certas versões do Cristianismo, como aquelas que se podem observar principalmente na América do Sul nas tradições religiosas do culto aos mortos e da Santeria, ou na América do norte onde abundam igrejas espiritas ou igrejas de natureza espirita, e onde a comunidade espirita é amplamente divulgada e influente.

Na doutrina religiosa do culto aos santos, do culto aos mortos e do culto aos espíritos, destacam-se dois grande nomes secularmente conhecidos:

são Cipriano e são La Muerte.

Para quem não sabe, são Cipriano é na verdade o santo dos necromantes, ou seja:

o santo daqueles que praticam a necromancia, isto é:

o santo daqueles que praticam as artes ocultas do contacto com os espíritos, pois que na verdade são Cipriano praticou os oficios da necromancia, entrando em contacto com todo o tipo de espíritos e entidades, tendo sido dessa forma que realizou os seus históricos feitos e milagres mágicos.

Outro santo relacionado com o contacto com os mortos é o santo La Muerte, que foi um missionário franciscano ou jesuíta do sec XVI que se dedicou a cuidar dos enfermos, especialmente dos leprosos, e que curou milagrosamente muitas pessoas, ate mesmo leprosos. A Igreja não acreditou nos milagres, considerou-os uma heresia, ( pois apenas Jesus tinha curado os leprosos), e castigou o monge, fechando-o numa cela sem água nem alimentos, quando passados uns dias foram visitar a cela onde ele estava enclausurado constataram que o santo tinha desaparecido e no local restava apenas uma caveira.

Pois bem:

Quando se estão a fazer amarrações, ( amarrações espiritas oficiadas seja através de são Cipriano ou de são La Muerte ), está-se precisamente a usar dessas técnicas espiritas e de necromancia que já vem do tempo da religião hebraica, assim como está presente na doutrina Cristã, ou seja: está-se a apelar a espíritos que habitam na profundidade do mundo dos mortos,  para que eles atravessem o véu que separa o mundo dos vivos do mundo Além-túmulo, e assim essas almas venha a este mundo, manifestem-se neste mundo, e aceitem empreender na demanda amorosa que se lhes encomendou.

Pois bem:

Parece simples mas não é, apenas sacerdotes treinados devem lidar com tais fenómenos, pois que sendo bem lidados dão em milagres, mas sendo mal lidados podem permitir a entrada neste mundo de entidades demoníacas incontroláveis, e isso pode gerar todo o tipo de tragedias e fatalidades

Por isso:

as amarrações espiritas são poderosas, e apenas devem ser usadas em casos sérios, e sempre – tal como nos exorcismos –  recorrendo-se de sacerdotes treinados.

Amarrações ?

Escreva-nos !

amarrações, amarrações amorosas, amarrações de magia negra, bruxarias de amarração, feitiços de amarração, amarrações poderosas, amarrações infalíveis, amarrações para o marido, amarrações para a mulher, amarrações para a esposa, amarrações para o esposo, amarrações para a amante, amarrações para ex, amarrações para o ex, amarrações para o amor voltar, amarrações para a mulher voltar, amarrações para o homem voltar, amarrações para amante, amarrações para casar, amarrações para homem casado, amarrações para mulher casada,